20 de janeiro de 2010

Não amo ninguém!

Ela se apaixonava rápido. Não porque fosse fácil ou desesperada, mas porque estava sempre com o coração desocupado. É que ela também se desapaixonava rápido; não queria passar tempo demais esperando pela paixão errada.
Estava sempre a procura de uma paixão em potencial. Se encontrava algum rapaz bonito, que lhe desse atenção ou lhe sorrisse com ternura, dizia pra si mesma que podia ser ele, a paixão que procurava, e se apaixonava loucamente pela possibilidade de se apaixonar de verdade. Escrevia o nome dele no caderno, desenhava corações na porta dos banheiros, ouvia músicas pensando nele e fazia poesias, tudo para se convencer de que o amava. E quando percebia que se enganara outra vez, era como se sua nuvem de sonhos chovesse, e ela chorava copiosamente a morte do amor que aprendera a sentir.
Durante anos ela seguiu assim: sempre amando ou sofrendo. A maioria das paixões que ela tinha era platônica, mas houve duas ou três que evoluíram para algo mais sério, embora não tão sério quanto ela queria. Porque ela não se contentava em gostar, ela precisava amar, e amor demais assusta. Gostar é pra coisas – diria se perguntassem - pessoas são feitas para amar. Ela gostava de amar pessoas. Gostava de dizer “eu te amo” mesmo que a recíproca não fosse verdadeira, e gostava de deitar na cama e ter em quem pensar, mesmo que não passasse disso.
Um dia, durante uma caminhada na praia, uma amiga já casada e com filhos questionou o motivo de ela jamais ter se casado. “Mas você ama alguém de verdade?”, indagou a moça. E ela respondeu cantando... “Se todo alguém que ama, ama pra ser correspondido. Se todo alguém que eu amo, é como amar a lua inacessível, é que eu não amo ninguém. Não amo ninguém. Eu não amo ninguém, parece incrível. Não amo ninguém. E é só amor que eu respiro.”

27 comentários:

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Ela tinha paixão por paixão...

Abraços

Tiago Fagner disse...

Ah é uma postagem coletiva???
Eu não sabia q tinha uma a caminho. :P
Você desvendou a alma da canção Nat.

Dandara disse...

Tu anda escrevendo muito sobre mim sem saber, querida nat.

Tatiane Trajano disse...

O amar era a própria vida, ela que não amava ninguém...

Mel disse...

Ficou lindo, lindo demais. E a música se adequou perfeitamente.

Realmente, gostar é para coisas e pessoas devem ser amadas. :)

^^

Luana Gabriela disse...

Lindo. Me descreveu nesse texto. Paixões rápidas, intensas, e quando acabavam ela achava que nunca existiram E hoje, bem hoje eu não amo ninguém.
Amei.

Bjos

The Owl disse...

Mas volúvel desse jeito, não dava nem tempo de amar mesmo. Se apaixonar é fácil. Pra dizer "eu te amo" a gente tem que esperar um pouco mais de tempo.

Uriálisson disse...

lembrei da musica do Kid Abelha "Te amo pra sempre,te amo demais,até daqui a pouco até nunca mais"
O amor tem fronteiras meio difíceis de ver,confusas de sentir e instáveis de exprimir

Tiburciana disse...

Parabens amei seu texto
Sou um pouco assim
bjos

Eveline M. disse...

Me li em suas palavras.
Lindo o texto, flor.

Beijos doces.

Marcel Hartmann disse...

Que carente, é como se fosse uma puta sentimental hahaha (ai que triste).

beijão

Sarah' disse...

uns dizem que o amor é fácil de lidar, mas eu acho tão complexo.
mas o fato de transparecer tudo de forma verdadeira acho que torna menos complicado !


bjs linda.
seguindo-a estou!

Maria Rita disse...

Lendo, lembrei de um texto da Martha Medeiros, chamado Desassossegados. Olha esse trecho, adoro ele:

"Desassossegados amam com atropelo, cultivam fantasias irreais de amores sublimes, fartos e eternos, são sabidamente apressados, cheios de ânsias e desejos, amam muito mais do que necessitam e recebem menos amor do que planejavam."

Nunca me indentifiquei tanto com um texto assim. E eu também me indentifiquei com o seu. *-*

Andrey Brugger disse...

Nat, ainda acho que alguém vai me perguntar isso, do alto dos meus 30 anos, quando eu lá chegar!
haha

Mas é que tem sido dificil mesmo. Você bem disse: amor demais assusta!

beijos

Erica Ferro disse...

E eu me pareço com ela.
E eu acho que eu não amo ninguém. =/

:**

Luciana disse...

Creio que seja exatamente nesse sentido que a música fale. Se quem ela ama não a corresponde e não é acessível, ela não ama ninguém. Ficou ótimo!

Beijo, Nat!

Jéssica disse...

Que lindo, tão igual a mim. Entendo ela perfeitamente, é que não é preciso ter alguém que lhe ame, mas que eu ame alguém se faz necessário.

Adorei :D

;**

Sheila disse...

Não entendo mto do amor, acho qe tbm nao amo ninguem, ou até mesmo amo, mais nunca consegui deixar a reciproca verdadeira. mais vamos tentando. quem sabe um dia eu nao aprendo né ?

lindo o texto
beiojs

Danilo Augusto disse...

Olá Correia,
estava com o tempo um tanto engarrafado
mas é bom ver que seus versos continuam lindos

César Fernández disse...

Era eu até te encontrar.

Nasca disse...

amar ninguém, ninguém pra amar.
amamos a idéia do amor, sem ao menos saber o que é.. amamos pensar que somos capazes de amar, ainda que não tenhamos muita certeza disso.. mas amamos, de alguma forma, amamos.


e a isso dei o nome de amor promessa :*

Erica Vittorazzi disse...

E quem não é um pouco assim?

Charlie B. disse...

O gostar é para as coisas, o amar é para as pessoas, gostei de ler esse fragmento em especial. Ai ai, eu estou com medo de amar alguém, mas o pior é que o amor vicia, e eu me sinto com a personagem do conto, louca para se jogar e amar de novo, socorroooo, rs.

Beijo Nat,

Charlie B.

●๋• тнαi иαรciмєитσ disse...

"Estava sempre a procura de uma paixão em potencial. Se encontrava algum rapaz bonito, que lhe desse atenção ou lhe sorrisse com ternura, dizia pra si mesma que podia ser ele, a paixão que procurava, e se apaixonava loucamente pela possibilidade de se apaixonar de verdade."

caaaaaaraaa, caaaaaaaraaa, caaaraaa, adorei isso, porque é bemm a minha cara - haha. Um dia eu acerto!!!

O texto ficou todo-todo bom!

carol. disse...

ganhou uma leitora!
ótimos textos.. adorei o blog!
parabéns!

Elizabeth disse...

amar estar amando é quase bom :)
mas amar algém é ótimo.

Anônimo disse...

“Se todo alguém que ama, ama pra ser correspondido. Se todo alguém que eu amo, é como amar a lua inacessível, é que eu não amo ninguém. Não amo ninguém. Eu não amo ninguém, parece incrível. Não amo ninguém. E é só amor que eu respiro.”
Grande Cazuza!
Simplesmente Incrível, adoro essa música.
Primeira vez que vejo seu blog, adorei esse post acho que vou virar um visitante assíduo.

Quem me segue (se perde comigo)