16 de novembro de 2009

Enquanto você dormia

Eu gosto de observar a noite passar pela minha janela. Fico esperando que um carro rasgue o silêncio das avenidas vazias e me pergunto pra onde ele vai. Pra onde eu iria? (afirmação que de última hora se transforma em pergunta).
Eu iria para qualquer lugar onde os prédios não me impedissem de ver o céu, onde os muros de concreto não fossem barragem pro vento, onde dinheiro não comprasse simpatia, onde o ar não cheirasse a óleo diesel e pólvora queimada. Eu iria pra qualquer lugar que não fosse aqui. Deixaria um bilhete de despedida, levaria você na mochila, e nós viveríamos de comer frutos proibidos em algum pomar privado.
Mas, assim como a noite, o carro passa
[some em alguma esquina] 
e eu permaneço na janela,
esperando pela próxima carona.

37 comentários:

César Fernández disse...

Eu não estava dormindo.

Caco disse...

Se ele tivesse indo pra praia, eu pegava uma carona.

Caco disse...

Eu acordei cedo demais, meu sono ultimamente tá bem doido.

Ela disse...

Às vezes tenho a mania de me imaginar no destino dos outros. Fico imaginando para onde eu poderia estar indo... Mas se um desses carros me desse carona, pediria que dirigisse numa estrada vazia, em alta-velocidade e com o som bem alto. Depois eu iria pra uma festa, dançaria a noite toda e faria coisas que jamais tive coragem.

Enfim... acabei de acordar. Mas devo estar dormindo ainda. kkk

Pâmela Marques disse...

Já adormeci várias vezes debruçada sobre a janela. Fazer o quê, né?

Tiago Fagner disse...

\o/
muitoo bom! Já fiz isso várias vezes tb! Definitavemente os carros não são muito bons em perceber quem os procura.
Já que não dá pra ir de carro podemos tentar o velho e funcional raio de luz! Bj moça!

Tatiane Trajano disse...

Estou pensando mesmo em pegar uma carona pra qualquer lugar que não seja aqui.

=S

D i c a disse...

Tudo não passou de um sonho.


;*

Layout LINDO!

Marcelo Mayer disse...

é como sair pra comprar cigarro e não voltar mais

The Owl disse...

Acho que posso dizer que já estive nesse lugar. Creia-me: na imaginação ele parece muito melhor do que realmente é.

Nathália von Arcosy disse...

Se você achar esse lugar, faz um mapa para mim?

Erica Ferro disse...

Eu queria ir pra...
Pra qualquer lugar mais calmo e mais feliz.

Beijo.

Maria Rita disse...

Já me peguei pensando nisso. O destino dos sonhos, onde realmente tenha paz e céu azul. :*

Alan Félix disse...

Muito excelente o texto, recordei de um texto escrito por Clarice, que minha professora de teatro entregou no primeiro dia de aula. O texto falava de mudança, e realmente temos que mudar, mesmo que seja num devaneio desencadeado pelo automóvel que passa.

Mariana Andrade. disse...

de verdade? eu penso que a próxima carona será melhor.

Charlie B. disse...

Menina que linda sua escrita, deu até vontade de querer uma carona...

hhauaha deixe seu recado após o bipe é um daqueles lapsos meio sei lá, entende? quando vc nota já escreveu..eheh

Charlie B.

Jéssica Trabuco disse...

Engraçado que quando eu era criança, quando tava beem tarde (pra mim na época isso era 21h), eu ia p quarto da minha mãe (q dava pra ver a rua) e ficava vendo a rua vaziaa... ouvindo os latidos dos cachorros ao longe e curiosa p saber quem estava dirigindo aqueles carros solitários que passavam pouco a pouco por lá.
Obrigada por me fazer voltar à essa época :)

Tiago Fagner disse...

PS: Eu adorava os Cavaleiros do Zódiaco, ah Deus, bons tempos!

Hosana Lemos disse...

qualquer lugar longe dessa confusão, longe desse caos...
eu também espero por essa carona!
*-*


bjos

Anitha disse...

Qualquer lugar que eu pudesse ser "ninguem"...

Adorei o novo visu! ;)

Erica Vittorazzi disse...

Adorei! A vida é cheia destas caronas. Já assistiu Walking Life? É demais, diz que qualquer esquina pode mudar o seu destino!!!!

Tiago Moralles disse...

Pegar carona com desconhecidos-andarilhos-transeuntes da noite.

Bruno Carvalho disse...

Viver de cidade é assim mesmo: uma noite de cada vez (e para mim a mesma solidão em todas elas)

Belíssima prosa-poética ^^ Mais uma vez, parabéns!

Seu,
Bruno Carvalho

disse...

..pra qualquer lugar.

André S. Lima disse...

muito, muito lindo mesmo!

gabriela m. disse...

ahã.
você conseguiu transformar uma covarde fugida numa coisa bonita com esse texto.

( mas ainda sim, não apoio sair assim, às escondidas, ora )

p.s.:
tenho uma (não-indecente) proposta. dá uma olhada em qualquer um dos meus blogs. :P

Atreyu disse...

Adorei o conto @@
Alguém mais quer pegar uma carona agora?

Fran disse...

Adorei!
Pra onde eu iria?
Pra casa dele :)

Beeijos!

Fran disse...

Se não existisse eu inventaria, só por ele :)

Beeijos!

Renata de Aragão Lopes disse...

Gostei muito!
Você quer
um Éden particular! : )

Então me responda
lá no doce de lira:
qual o seu
pecado capital? (risos)

Um beijo.

Eu, Thiago Assis disse...

deitado na cama e ouvindo carros passando pela rua, no meio da madrugada, tbm fico imaginando caminhos para eles.. insonia é cruel.

vamos procurar uma passagem pra Pasárgada?

adorei o post :)


www.euthiagoassis.blogspot.com

Lucas Lima disse...

pegar carona é arriscado, é extravagante, rsrs, é tudo que precisamos as vezes, rs
bons dias

Flávia Ruas disse...

Eu tenho uma vontade enorme de ser livre. E ser livre de verdade.

Juliana Marques. disse...

eu penso exatamente assim.
quer ser autista no meu mundo, também? :*

Matheus Sobral. disse...

Pegar carona nessa cauda de cometa...

Agatha disse...

Vamos fugir, desse lugar beibe rs E quem não quer sair correndo dessa selva estressante de pedra?

Um beijo.

Vital disse...

ir pra outro lugar dá sempre essa sensação de ideal...
mas a delícia maior não tá em nenhum lugar senão no caminho, no movimento.

Quem me segue (se perde comigo)