14 de março de 2009

São sentimentos.

Quando estamos tristes, parece que há uma bomba de sucção dentro do nosso peito, sugando todas as boas emoções e sensações, sem nos deixar senti-las ou vivê-las. Entretanto, acho que a culpa é nossa. Nós nos apegamos tanto à nossa tristeza que ela, de repente, parece maior e mais forte. É como numa queda infinda: chega um ponto que nós paramos de gritar, mas continuamos a ouvir os ecos do nosso próprio desespero, quando ele na verdade já se foi, e somos somente nós e a gravidade. Mas se formos pensar, cair não é tão ruim... é só colocar o mundo de cabeça pra baixo e pronto, estamos subindo! Há sempre duas versões pra tudo, dois pontos de vista, ou até mesmo mais. O que nos falta é, afinal, um pouco mais de fé para acreditar que nada é vão, embora assim pareça quando estamos tristes ou magoados demais. O segredo é inverter as coisas. Como seres pessimistas que somos, mesmo quando estamos no auge de um grande amor, surge aquela duvida chata, alfinetando a nossa felicidade instantânea: “e quando o amor acabar?” Temos sempre um pouco de medo de nos entregar, por saber (mesmo sem saber que sabemos) que as coisas na vida são muito efêmeras. Hoje estamos loucamente apaixonados, amanhã descobrimos que aquela pessoa não era para nós. Porque não fazer o contrário, então? Pensar que o amor é pra sempre e que a tristeza pode acabar a qualquer momento? É disso que eu estou falando: de prolongar coisas boas e resumir as ruins; de aproveitar o que a vida oferece de bom e aprender com o que há de ruim, sem essa de pensar que vai ser ruim pra sempre. Conhece o jogo do contente? Se não, posso resumi-lo em uma palavra: otimismo. A verdade é que sentimentos são mesmo fáceis de mudar, e nós somos mesmo umas metamorfoses ambulantes. Contudo, como tudo, nós sempre podemos esperar que mudem para melhor, não é?

4 comentários:

André Felipe disse...

"É melhor ser alegre que ser triste, alegria é a melhor coisa que existe... " certo?

E sobre teu comentário: gosto quando tu me compreendes.
Beijos, pequena.

lilo disse...

belo texto moça
:*******

Eduardo disse...

suas palavras tem uma intensidade gostosa de se sentir... =)

beijão naty

Thiago disse...

Com certeza, a gente sempre espera que tudo melhore apesar de nos apegarmos a algumas coisas tristes e não desejar por um momento a mudança.

Dificil, sei lá.

Quem me segue (se perde comigo)