30 de outubro de 2009

Extra-ordinário

Este tem sido um dia extraordinariamente ordinário!

Às vezes acontece de, após uma sucessão de dias especiais (entenda especial como qualquer coisa que nos tire da rotina), você se encontra olhando para um dia que não tem nada a oferecer, e fica aliviado por poder simplesmente não se importar.

Você pode almoçar e jantar, sem se preocupar com o horário; você verifica seus e-mails; você conversa com alguns amigos; liga para o seu namorado e cai na risada por não ter nada a dizer; você deita na grama com uma pessoa que você vê todos os dias, mas nunca tem tempo de conversar... E lentamente, tudo derrete.
Você acha conveniente ignorar os mosquitos e esperar até que o céu que você está olhando se torne o papel de parede das suas pálpebras, dando a ilusão de que elas ainda estão abertas. Quando você fica sonolento, uma melodia familiar desaponta no fundo da sua inconsciência, e você quase pode sentir seu corpo dançar.

Isto é quando o ordinário é extraordinário. Casa não são apenas quatro paredes e um teto. Casa é uma sensação de proteção omnipresente (você pode se sentir em casa nos braços de uma pessoa amada), onde nada é desconhecido... Tudo está dentro de você, ali. Queria que alguém pudesse entender! Euforia se aproxima de definir, talvez...

20 comentários:

Katrina disse...

Pensei nisso nos últimos dias. As pessoas deixam que coisas simples e rotineiras passem despercebidas, e são nessas coisas, que mora a verdadeira magia da vida. Inclusive no sorriso dos seus pais

Marcelo Mayer disse...

pior é quando ficamos loucos para chegar em casa e ao mesmo tempo louco para sair dela.

Marie disse...

Estranho esse mundo não é...

César Fernández disse...

com quem você deitou na grama? u_ú

Tiago Fagner disse...

Pelo menos comigo as coisas acontecem assim, quando eu posso sair e viver experiências novas, sair da rotina mesmo isso parece recarregar minhas baterias. Quando volto pra casa as atividades rotineiras do meu dia parecem intensamente mais prazerosas e produtivas. Fica sempre mais fácil estar em um lugar, quando você teve tempo de sentir falta dele.

Matheus Sobral. disse...

A beleza que há nas coisas simples... Isso é poesia!

Tatiane Trajano disse...

Preciso tanto sair da minha rotina ordinária.

Ah sim, vou passar aí pra te pegar na minha vassoura, tá? A gente vai pra um lugar qualquer...rs


ps: tô tão feliz pelo vermelho ter saido daqui...rs Agora eu consigo ler sem ver estrelinhas depois. =D


Beijos!!!

Flor disse...

entendo.... completamente...

um beijo.

Jéssica Trabuco disse...

Dá pra entender... costumo me sentir assim.

Dandara disse...

Isso é uma coisa que acontece em raras exceções com poucas pessoas, enxergar além do óbvio e do bonito comum. Isso é sensibilidade gravíssima. E proveito demais.

Erica Ferro disse...

É tão bom quando o ordinário, de repente, torna-se extraordinário.

Adorei o post.

Beijo.

Alan Félix disse...

A casa é quando as paredes brancas, verdes e azuis nos consola durante a noite.

Abraço!

Tatiane Trajano disse...

Ei..
tem selo-meme pra vc lá no blog.

=*

Tatiane Trajano disse...

Ei..
tem selo-meme pra vc lá no blog.

=*

disse...

Eu entendo. E me senti assim ontem também. >DD

J. Bertonie disse...

A vida, presa a rotina que pode ser boa ou ruim dependendo dos olhos de quem vê, é tão bela que chega a dar medo. E esse medo faz passar despercebido os pequenos prazeres do cotidiano.
(:

beigos

D i c a disse...

Dias ordinários são os mais produtivos, os que nos deixam mais felizes, os que nos tornam mais vivos.
Gosto de fazer exatamente o que você fez: de ligar mesmo semter assunto, de deitar e con versar e esperar o tempo passar.
Pena que esses dias não tem acréscimos.

Beijos!

Mariana disse...

É porto seguro. É a certeza da mão estendida. Casa é lugar pra (re)confortar.

E quanto a sorte,
eu divido com você quando ela chegar, mas até lá, nao pode faltar os pensamentos positivos!

Juliana Marques. disse...

nunca tinha parado pra pensar dessa forma. mas casa não são paredes e um teto, literalmente.

é bom descobrir na rotina coisas especiais. um papel de parede de céu parece interessante para mim.

:)

Tiago Torigoe disse...

Pooode sim, pode ser você ctz ^^
Aquele meu post foi só um pensamento jogado ao vento.

Tá lindo seu blog, o post maravilhoso e interessante *-*

Até me deu saudades de quando meu blog era "famosinho"... mas canseiii de divulgar, e comentar no dos otros, dá trabalho AHAUH :D

Ah, e seu otro blog... é o nome da música liiiiinda do Móveis Coloniais *-*

Beijos, td de melhor pra vc

Quem me segue (se perde comigo)