24 de agosto de 2009

Meme

Graças a Dandara, eu agora sei o que é um meme. E graças a Matheus e Andressa, que me indicaram esse, eu vou poder brincar disso também. Eu sempre via as pessoas indicando memes umas pras outras, e mesmo sem entender direito o que era, achava legal. Se tem gente que não gosta por dizer que é "aprender por cópia", eu digo que adoro a idéia de ver várias pessoas respondendo a uma mesma pergunta. Não é legal ver até onde as pessoas podem ser diferentes [ou iguais]?

As regras são:
Selecionar dez coisas que você ama.
Indicar o meme para cinco pessoas diferentes.

1º parte:

1. Falar: mais do que qualquer outra coisa, eu amo poder falar. Gosto de me sentir livre pra dizer o que eu penso, o que eu sinto, ou simplesmente para dizer o que me dá na cabeça. Gosto de falar sobre tudo ou sobre nada. Às vezes me arrependo do que digo, e prometo não falar sem pensar novamente, mas aí penso que seria muito pior se eu me arrependesse de não ter dito aquilo que eu queria dizer. Vai que depois é tarde demais? Por isso eu gosto de falar tudo. Falo quando estou feliz, falo quando estou magoada, falo quando estou com raiva, falo quando amo e sei que amo, tem vezes que falo só para acelerar o relógio, mas eu estou sempre falando. E quando estou em silêncio, é porque estou pensando em algo que eu poderia falar - qualquer hora para alguém.

2. Espontaneidade: não há nada que faça eu me sentir tão bem quando a sensação de poder ser quem eu sou, sem restrições e sem censuras. Eu sou naturalmente espontânea e impulsiva. Vez por outra eu dou uma de racional, e fico pensando e pensando e pensando sobre tudo o tempo todo, mas sempre que faço isso, acabo fazendo exatamente o que eu queria fazer no início e não tive coragem. Eu gosto de decisões de última hora, gosto de planos refeitos; gosto de correr na chuva, mesmo que estando preparada para um dia de sol na praia. Eu sinto prazer em tirar proveito das mudanças, me sinto viva quando consigo tirar o sumo positivo das coisas inesperadas, mesmo que elas pareçam ruins a princípio. Eu sempre gostei daquela frase do faustão que diz "quem sabe faz ao vivo".

3. Chuva: já que falei em chuva no tópico anterior, vou dedicar um tópico inteirinho só pra ela. Eu simplesmente amo a chuva. Amo o efeito que a chuva provoca em mim... Eu me sinto mais viva cada vez que uma gota de chuva resvala por minha face, e adoro abrir a boca para esperar que algumas delas caiam doce em minha boca. Chuva me faz reviver momentos lindos na mente, outros nem tanto. Mas nem só de momentos bons a vida é feita, não é? E são os altos e baixos que a tornam tão emocionante quanto uma montanha russa [que dá aquele medo, aquele frio na barriga, mas no final, todo mundo quer ir de novo]. Gosto de imaginar que chuva leva tudo que é ruim, traz tudo que é bom, e mesmo quando a chuva é muito forte, provocando sustos e desastres, há sempre a certeza de que depois dela, virá a calmaria.


4. Carinho: eu não sei se eu sou uma pessoa tão carinhosa quanto eu gostaria de ser, mas adoro toda forma de carinho, explícito ou não. Não precisa ser grande coisa, uma ligação preocupada quando eu estou doente ou triste já é o bastante para me coroar um sorriso de orelha a orelha. Carinho de namorado [não qualquer namorado, apenas do meu namorado], carinho de amigo, carinho de pai, de mãe, de irmão. Amo beijar, claro, não há como descrever a sensação que reside em um beijo apaixonado. Mas as vezes um abraço, daquela mesma pessoa que lhe beija, vale mais que um milhão de beijos. Aquele abraço apertado que parece dizer "vou transformar meus braços em uma muralha para te proteger de tudo". Amo até aqueles carinhos mais sutis... Um roçar de mãos, uma cabeça em meu ombro, uma mordida e até um grito, se for de amor.

5. Telefone: ah, telefone. Que me permite ouvir a voz dos que estão longe, bem no meu ouvido, como se estivessem pertinho de mim. Telefone, que me permite adormecer enquanto converso, e que diminui a solidão que eu sinto quando não tem ninguém em casa. Telefone, que me permite ligar pra quem eu quiser: da rua, do ônibus, da aula, do quarto, do banheiro... Só o toque do telefone já me faz sorrir... "quem será que está ligando? será alguém que lembrou de mim? alguém que quer ouvir minha voz?". Claro que eu prefiro a presença substancial, o contato, a voz vinda com o sopro da respiração; mas quando quem a gente quem ama tá distante, é o telefone que salva - da saudade.

6. Arte: música, cinema, pintura, dança, literatura e sorriso. Eu posso não ser uma artista em potencial, mas sou uma grande apreciadora de todas as formas de arte. Não me lembro de um dia que eu tenha passado sem ouvir ou cantar uma música pelo menos, e são tantos os filmes que me encantaram até hoje que é praticamente impossivel eu escolher um ou dois deles para definir como meus favoritos. Eu gosto de olhar para pinturas e imaginar o que o artista estava sentindo/pensando quando fez aquela pintura. Na dança, o corpo ganha voz, e os gestos dizem coisas que só outro corpo - em sintonia - consegue entender. Literatura, o que posso dizer? Eu mergulho tão profundo em um livro, que de vez em quando fico perdida entre a realidade e a ficção. E sorriso, nossa, o sorriso para mim é a mais linda de todas as artes... Uma arte que não exige talento, vocação ou horas de treinamento. Arte popular, livre, barata e nem por isso menos bela.

7. Imaginar: posso passar horas apenas imaginando algo sobre alguém. Qualquer coisa pode despertar minha imaginação; um banco vazio me faz imaginar quantas pessoas já não passaram por aquele banco; uma luz acesa no meio da noite me faz imaginar o motivo de alguém não estar dormindo tão tarde [seria o mesmo que o meu?]; um casal discutindo me faz imaginar o sorriso que virá quando fizerem as pazes; uma flor me faz imaginar quantas mulheres não amariam recebê-las de uma pessoa amada. Eu gosto de olhar para estranhos e imaginar suas histórias, gosto de imaginar como seria aquilo se não fosse isso, como seria aquele, se não fosse assim. Amo imaginar porque a minha imaginação me dá asas, e eu sempre gostei de imaginar como seria, se eu pudesse mesmo voar.

8. Final feliz: "final" é força de expressão, já que eu não acredito que as coisas tenham mesmo um final definitivo. Pra mim, nem a morte é o fim. Mas eu adoro quando as coisas "terminam" bem. Quando uma briga boba termina em risos; quando um filme acaba em casamento; quando o herói consegue salvar a mocinha; quando o vilão se arrepende e tenta se redimir; quando uma saída entre amigos acaba em resenhas. Eu odeio aquela impressão de que "nada valeu a pena" só porque no final não foi tão legal. Já quando as coisas terminam bem, parece que tudo que acontece de ruim é aprendizado, enquanto tudo de bom se eterniza.

9. Pessoas: isso não é bem uma coisa, mas se eu fosse fazer uma lista de todas as pessoas que eu amo, daria bem mais de 10. Então eu vou resumir tudo em uma coisa só. Porque eu amo, nas pessoas, o que elas têm de mais humano. Gosto de fulano porque ele é sensível, de beltrano porque é inseguro. Amo os medrosos, os ciumentos, os serenos, os sinceros. Amo as pessoas pelo que elas realmente são, pelos seus defeitos e pela coragem de assumi-los. Eu amo as pessoas porque elas erram, e errando amadurecem. Amo as pessoas porque são imperfeitas, mas ainda assim tentam melhorar. Amo as pessoas porque elas são capazes de mudar, de pensar, de sentir. Amo as pessoas porque elas podem me amar também. E quem não ama ser amado? Eu sei que existe muita gente cruel no mundo, muita gente que quer o mal do outro sem quê nem pra quê, mas eu não sou do tipo que julga o todo por uma parte.

10. Amar: família, amigos, namorado, falar, espontaneidade, chuva, carinho, telefone, imaginação, final feliz, cachorro, gato, papagaio, peritquito... Eu sou um pouco de cada coisa que eu amo. Sou o conjunto de todas elas. Diria até que sou feita de amor, mesmo quando estou com raiva. Se eu não amasse tanta coisa [e pessoas!], nem mesmo essa lista eu poderia fazer.

2º parte:
Manuela, César, Eduardo, Luciana e Felipe.

6 comentários:

Agatha disse...

O 'game over' foi pra solidão, e pro passado que insistia em me perturbar (: Ah, muitissimo obrigada, elogios como este significam tudo pra que eu possa continuar :D

Esse meme passou por mim também! E ainda nem sei o que é direito, reflita! rs

Um beijo.

A. disse...

Nati! *-* Teu meme, ou melhor, teus amores, são exatamente o que eu penso de ti. Fala muito, é espontânea e carinhosa. E sensível. Eu diria que falar muito é defeito, mas acho que no teu caso não. Tem gente que fala coisas idiotas, fala para chamar atenção. Você não, fala o que vier na cabeça, apenas pela necessidade de colocar para fora. Eu já disse, isso é um dom, de verdade. Eu queria saber falar mais, ouvir menos... As pessoas mal sabem como é a minha voz, é triste, até, haha.
Estranhos... Como eu os adoro. Você também, isso é legal! E, cara, o que tu disse mexeu com o meu emocional e o meu coração de pedra, beleza? :') HUSAUHSAUAHS.

Beijo, Nati. A gente se fala. (L)

Dica disse...

E eu adorei ler sobre as coisas que você ama.
Admiro pessoas que desembestam a escrever.. dão asas aos pensamentos. E você faz isso muito bem, flor. Escreve bem, sabe falar de você.

Gosto daqui.. sem aparentes motivos.
beijos

César Fernández disse...

É sério que você não sabia o que é um meme?
HAUHEUAHEUAHEUAHE

Que lindas as suas respostas *--*
Acho que nas minhas também vai ter "chuva" e "imaginar" :B

(LL)

adenilson disse...

parabens
enfim um memeee
aleluiaaaaaa
o//
e lendo os textos posso dizer q sou seu colega intimo
kkkkkkkk...
abraços
mardeto pc era pra atualizar na quarta...
mas tdo bm...ele ainda tá vivo
respirando por aparelhos mas está..
ótimo fds viow ?...
e cuidado, o gugu tá chegando ¬¬
hahahaa

www.bocadekabide.blogspot.com

Stella disse...

oii, nossa..achei lindo, brilhante, mágico, perfeito. Parabéns de verdade. Você deve ser uma pessoa incrível! Beijos.

Quem me segue (se perde comigo)