28 de agosto de 2009

Antes do tempo

precipitadamente
jogo-me do precipício
precipitada, a mente
comete suicídio,
presa no velho princípio
de precipitar - chover
afogo-me em meu próprio dilúvio.

17 comentários:

Nathália von Arcosy disse...

Você brinca com as palavras de um jeito tão natural e gostoso que estar por aqui me faz sentir em casa...

Adorei o seu blog, se não se importa, andarei por aqui mais vezes, rs.

=*

Agatha disse...

Tenho medo de me jogar, olho para baixo e vejo a copa das arvores, são tão atraentes... O vento a afagar meu rosto sussurra: "venha comigo, vamos tenha coragem".
Apavoro-me. Penso em tudo que tenho a perder. Tudo. Não, estou muito bem com a vista da varanda. Obrigada. A minha razão foge por alguns minutos, mas ela sempre volta, aliviada.

Você não escreve. Você cria mundos. Você inspira leitores.

Um beijo.

César Fernández disse...

Mantenha a sua mente (e você também) vivinha, faz favor.

:*

Dica disse...

As palavras são colocadas a seu favor, incrivel como consegue isso.

E a mente comete sim suicídio, ela sempre morre antes só pra amenizar a dor do corpo durante a morte.
Gostei disso, muitíssimo!

Victória. disse...

Impulsos: necessários, porém maldosos.

SEMPRE assim.

Mas você sobreviverá, apenas respire =]

Jéssica Trabuco disse...

Forte esse texto!
E quanto ao comentario no meu blog... oq tenho a dizer eh q há magia na vida de todo mundo só q as vezes a gente não percebe isso e um garotinho com um pote na mão tem que mostrar isso p gente!
=]

Izabela Fardim disse...

Comente sim, assim como as folhas caem, murchas, nos jardins.

Esse teu jogo de palavras, me encanta. Beijo, querida!

Stella disse...

gostei! :)

www.scrummiest.blogspot.com

Will disse...

Nossa você escreve muito bem
obrigado pela visita no meu blog !
www.ruivosuburbano.blogspot.com
omnia vincit!

Cláudio Schuster disse...

Belo poema! Vou colocar seu blog entre os meus indicados. Seja bem-vinda ao meu blog

Kristina Mendonça disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kristina Mendonça disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kristina Mendonça disse...

Vi você no comentário do meu blog e a minha curiosidade aguçou-se, tive que vir aqui confirir (;

O poema é bem legal, a convivência com o intríseco das pessoas é um assunto bastante abordado e que não cansa de ser interessante. Parabéns por não ter receio de compartilhar sentimentos tão profundos e presentes no dia-à-dia de muitos; muitos que fecham os olhos pras formas de expressão disso.

Quanto ao teu blog, no sentido geral,é um canto muito "aconchegante".

aluadaa disse...

nossa mente sempre nos impulsiona a fazer, algo. bom ou ruin.




R.: ela não desistiu, só não quer mais sofre! ;)

Pantera disse...

Eu já estive em muitos blog e confesso que quando eu vejo um poema eu geralmente não me animo, eles não costumam ser bons. Mas este é. Tem rimas e só tem o ritmo quebrado no fim. Gostei.

http://paralaxehiperbolica.blogspot.com

Lucas Lima disse...

muito bom, intenso, rs
Bjs e bons dias

Tiago F. Moralles disse...

Jogo-me.

Quem me segue (se perde comigo)