7 de julho de 2009

Plenitude

Eu estava decidida a não me apaixonar de novo. Meu coração estava fechado para reforma e só retornaria revestido com DNA de lagartixa. De que outra forma ele poderia sobreviver a tantas quedas, tantos cortes, tanta falta das tantas partes que tantas vezes partiram [e partiram-no]? Mas algo inesperado aconteceu. Um desses eventos aleatórios que costuma não dar em nada, mas que quando dá, revira nossa vida e deixa tudo de pernas pro ar. AR! É como voltar a respirar livremente, sem tubos de solidão para estimular a auto-piedade.
Mas gato escaldado... sabe como é. O coração hesitou, apertou, gritou; o coração teve medo de partir-se de novo, pois estava quase deixando de ser coração pra ser colcha de retalhos. E em nome dele, eu resisti; quis ter certeza de que não havia um abismo entre as nuvens, e até tentei trancafiar o pensamento - mas ele, que nem vento, me escapou. Acontece que quando o amor surpreende, o coração amolece, o coração se rende. E se houver qualquer abismo nessa estrada, eu vou voar.

11 comentários:

César Fernández disse...

Não haverá abismo algum.
(LL)

[x] disse...

Então é verdade que o amor nos dá asas?

[x] disse...

Esse seu novo layout ficou muito gay *-*

dandara. disse...

voa, voa bem muito! quem sabe dessa vez não tenha muita turbulência?
coração não escolhe, só sente.

quero me sentir assim também, ter uma luz no fim do túnel!

César Fernández disse...

Esse seu novo layout ficou muito gay *-* [2]

Juliana disse...

ô nathy, tudo de maravilhoso viu?
Estou torcendo por ti, de verdade!
E sobre corações partidos, sei como é isso.

beijo!
=*

Bruna Barros disse...

isso de amor é assim, prende o juízo da gente e libera nossas asas, e a gente voa... e como voa!
e chega um dia que a gente volta pro chão. devagar ou abruptamente, mas me diz, quem vive sem voar?

Andressa disse...

Ah, que inveja! *-*

Esse seu novo layout ficou muito gay *-* [3]

Bárbara disse...

awww! escute sempre seu coração amiga :]

Manuela Moraes disse...

amiga, voe mesmo.
abra suas asas e voe, voe alto! nossa, como Deus nos dá forças para encararmos as situações que aparecem. o problema é que a gente não sabe e/ou não acredita que tem essa força. força pra voar acima do mar. acima dos predadores da nossa fé e esperança, de nós mesmos.

voa, amiga! e vc pode contar cmg, como sempre. eu estarei buscando o voo sempre e, se algum dia, vc cair, eu te encontro lá no chão e espero te dar forças pra que suas asas se abram de novo.

assim como o pássaro não precisa voar sempre, nós também não precisamos. mas ele tem aquelas asas que poderão ajudá-lo, se ele precisar, e nós também. se elas se quebrarem ou estiverem pequenas, temos Deus e pessoas para as consertarem, fazerem-nas crescer e nos ajudarem a voar de novo. tenha isso em mente, meu amor.

eu te amo!
que Deus abençoe muito vcs!

Izabela Fardim … disse...

Voe e deixe seu coração guiá-la. Beijo, querida!

Quem me segue (se perde comigo)