10 de dezembro de 2009

Do remorso

I
Remói o cérebro
ébrio do tormento etílico
típico do poeta inventado
interpretado no desejo decadente
de ser regente da própria vida
vendida a preço de banana
porque a grana é curta
e o olho é grande.

II
Enfarto fulminante da paz
que jaz na fumaça do fumo
- consumo que mata
consumindo a fome de morrer
- cadáver do sossego
no aconchego da mentira
e na mira da verdade.

III
Mordaça na boca da mente
dormente no silêncio
da iminência de falar
e entregar o pensamento mudo
com medo que os ouvidos do mundo
escutem os segredos imundos
entalados na boca do estômago.

36 comentários:

carla l. disse...

O III ficou incrível e retratou o que fazemos muitas vezes: calamos os pensamentos à força, com medo de que o resto do mundo conheça o que guardamos somente para nós mesmos.

Beijo.

Marcelo Mayer disse...

sabe aqueles poemas que sempre quis escrever e nunca consegui? tá ai!
ficou animal !!!!!
o II expressa muito minha vivência sentimental de ser um humano fálido!

Noubar Sarkissian Junior disse...

Angustiante! Foi muito boa a experiência de reler algumas vezes o poema, notando cada vez mais esse poder crescente(gradativamente sufocante) que ele exerceu sobre mim. Há uma frase que minha namorada sempre repete, e que reflete o que acontece quando passo por aqui. parece que eu ouço ela dizendo "gosto dos textos que mexem comigo". E não no sentido mais superficial da coisa: mexer também é desajeitar.

Mais uma vez, um construído de uma forma que valoriza os significantes (principalmente a aliteração do "m" na última estrofe), tornando ainda mais belo os signficados (tantos) de cada verso. Angustiante e lindo.

P.S.: respondendo o comentário de "lá":
Muito obrigado por ter retribuído a visita. E eu conheço essa música do baleiro sim! Ótima inspiração também! Sobre o Rio: eu, como paulista nem um pouco fanático, gosto de lá com minha parcela viajante/turista (?) de ser. Se eu morasse, provavelmente não gostaria...rs. E como é interessante essa paixão que muitos dos pernambucanos têm por sua Recife! Lembro-me que sempre dava uma certa inveja do calor que Los Hermanos e Cordel (estes com mais motivos ainda) recebiam (recebem) de vocês!

Continuo lendo os blogs do tiago e do cezar sim! E hoje fui eu que falei "demais"...hehe

Beijos

Noubar Sarkissian Junior disse...

Ah, e "Apenas o Fim" certamente lhe agradará! Se passar aí no Recife, ou sair em dvd, veja!

César Fernández disse...

Que coisa o_o

Sufocante como o carinha disse aí.
E muito bom (:

Erica Ferro disse...

Ia soltar um palavrão agora de tanto entusiasmo, mas não...
Veeeeeelho, na moral, ficou MUITO show esse poema.
Minha irmã, você... sei não, toca na minha ferida, cospe na minha cara e me deixa sem palavras.

Parabéns, Natália!
Parabéns e parabéns.

Um beijo pra ti.

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Intenso. Insano.

André S. Lima disse...

adorei o efeito gradativo. e, nossa, esse sentimento de remorso ficou super bem descrito!

Charlie B. disse...

Devolva-me as palavras, Mademouseile Corrêa, simplesmente belíssimo!
__

Ah, quero participar sim da postagem coletiva, viu! Me aguarde!
__

Ah, eu também nem era muito de ler Best-Seller, mas Twilight arrebatou, assim como tantos outros que em atrevi a ler.
Li 'a menina que roubava livros', e lhe digo que fechei o livro pela última vez com olhos vermelhos e uma certeza de que o mundo me deu uma chance de ver as cores de novo!

=*

Charlie B.

Matheus Sobral. disse...

Achei foda!
"tormento etílico" gostei disso. o tormento embriaga mesmo, talvez até mais que qualquer outra bebida...
a sensação que esse poema passa é angustiante, o remorso vai crescendo e sufocando...
do caralho!

The Owl disse...

Brigada! :)

Meus vasos capilares poéticos se esforçam, mas os coitados são fraquinhos, fraquinhos...Por outro lado, a sua veia poética anda cada vez melhor!

Mariana Andrade. disse...

remoídos, remoídos, prontinhos para serem soltos.

e ouça os aplausos agora, natália. porque isso foi muito bom.

Tiago Fagner disse...

Mordaça na boca da mente
dormente no silêncio
da iminência de falar
e entregar o pensamento mudo
com medo que os ouvidos do mundo
escutem os segredos imundos
entalados na boca do estômago.


Para, para tudo! Momento reflexivo pós-leitura do Dezesseteepoucos anos... volto em breve!

.
.
.

PS: Era "tivesse" sim digitei errado! :P
Bju menina! Eu sei que você sabe, que eu sei que você sabe que você arrazou de novo!

Tiago Moralles disse...

Três partes de um belo todo.

Mariah disse...

"ébrio do tormento etílico"...fazia tempo que não lia metáforas tão ricas.
que lindo texto.

Dandara disse...

eu fico com a vida de mercado e a podridão calada com mordaça.

p.s.: apareça na minha vida, nat.

Glauco Guimarães disse...

Foi uma experiência bem viceral. Falar do texto é chover no molhado (é bom não tem o que criticar), me concentro no visual. O corpo do texto crescer a medida que as estrofes terminam foi uma boa solução para ir aumentando a intensidade do poema. Acho que ja vi algo semelhante no meu xará o Glauco Matoso. Enfim, ótimo.

Mesmo você só tendo 19 anos ainda é bem acima da média! Parabéns!

Alan Félix disse...

Esse poema é uma micro trilogia do remorso, senti nesse texto uma fala do manguebit, essa linguagem viceral dos pernambucanos.


"Enfarto fulminante da paz
que jaz na fumaça do fumo
- consumo que mata
consumindo a fome de morrer"


Adorei esse trecho, daria uma ótima musica.


Abraço!

Madame Morte disse...

Ao longo da vida, remorso é provávelmente seja o que mais sentimos.E depois temos remorso do próprio remorso.Somos donos das nossas próprias escolhas.E talvez seja esse o principal motivo de tanto remorso.

=/

Marcel Hartmann disse...

NOSSA. Esses foram os melhores poemas de alguém não-famoso que eu já li. Sério, se não fosse o nome do blog e a foto, eu diria que você é uma poeta há anos. Depois dessa, tô te seguindo. Arrasou.

beijo

Danilo Augusto disse...

Olá, olá.
Meu poema foi mais inspirado em Lou Andreas-Salomé, uma poetisa que, dizem as más línguas, foi amante de Freud, Nietzsche, Rilke e etc e tal.

Fui bem sim no Enem, só que minha namorada não. Já ela foi ótima na Unicamp e eu não. Somo completamente apaixonados, sabe como é?
Ai só iremos os dois....

Voltarei para comentar seus novos textos é que agora acabei de ver "Dançando no escuro" e não estou em condição de absorver mais coisa alguma.
Vai um conselho: Se não viu veja. Antes que morra.

Um beijo.

emquedalivre disse...

Do remorso eu entendo.

Maria Fernanda Probst disse...

Eu sempre fico sem saber o que falar, quando leio poesia em versos.

Pâmela Marques disse...

III animal e desculpe o termo: foda. É, eu falo esse tipo de coisa, pode não parecer.
Mas o III é o que realmente fazemos e o fazemos bem.

Natália a cada dia que se passa viro tua fã, menina.

Beijo moça bonita :*

Pâmela Marques disse...

III animal e desculpe o termo: foda. É, eu falo esse tipo de coisa, pode não parecer.
Mas o III é o que realmente fazemos e o fazemos bem.

Natália a cada dia que se passa viro tua fã, menina.

Beijo moça bonita :*

Vital disse...

depois de tantos comentários
deixo o meu só pra dizer que li e me fez bem.

Rafael disse...

Ficou massa.
Massa de bolo e de pão.
Eu gosto de bolo. E gosto de pão.

Gostei do efeito das letras que vão crescendo... hihihi.
Bjsss

Pâmela Marques disse...

Acredito que a postagem coletiva tenha dado certo. Rendeu bons textos, alguns suspiros (ai, ai). Então, quero propor uma nova postagem coletiva. Para quarta-feira. E estou avisando com antecedência para que todos nós postemos juntos.
O tema é: Kiss me.
Baseada na música da banda Sixpence None the Richer. Sempre achei essa música linda e acho que poderíamos tirar um proveito enorme dela. Aguardo contato com a confirmação da postagem.

adm.pamelamarques@gmail.com
Se quiserem podem me add no Gtalk. Passo o dia inteiro online.

E avisem também que a postagem é livre, quem quiser pode entrar na brincadeira.

Beijo doce :*

Charlie B. disse...

Postei sobre Noites de um verão qualquer!

\o/

Charlie B.

D i c a disse...

Às vezes bate uma inveja de você..
quase insuportável.

Natália disse...

Lembrou-me o livro de literatura! Beijos

Luciana disse...

Vc sabe que eu não falo palavrão, mas vc eh "fodástic*"!

Luna Cortez disse...

esta semana estava comentando com um amigo: 'meu, ela escreve demais essa menina ô, quequéisso!!!rs'

sem mais delongas.

gabiz disse...

é a parte ruim de fazer algo por maldade, certo?

Hosana Lemos disse...

nossa!
foi bem intenso, gosto disso!

bjos

Rodriguez disse...

Nossa, intensidade aqui transborda.

Quem me segue (se perde comigo)